ITAJAí (47) 3046-0306 (47) 9 9931-9000
Ligamos para Você
Nossa politica de privacidade e cookies Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência na navegação.
Você pode alterar suas configurações de cookies através do seu navegador.
NS Imobiliária
NS Imobiliária

Busca de Imóveis

Selecione os critérios de busca nos campos abaixo e encontre seu imóvel dos sonhos

» CONSTRUÇÃO DAS FRAGATAS DA MARINHA EM ITAJAÍ GERARÁ MAIS EMPREGOS

CONSTRUÇÃO DAS FRAGATAS DA MARINHA EM ITAJAÍ GERARÁ MAIS EMPREGOS
Publicado em 11/Mar/2020
Sem Categoria
CONSTRUÇÃO DAS FRAGATAS DA MARINHA EM ITAJAÍ GERARÁ MAIS VAGAS DE EMPREGO
 
O contrato foi assinado na quinta-feira (5) entre a Marinha do Brasil e o consórcio Águas Azuis, para a construção de quatro navios militares em Itajaí, tem valor previsto de R$ 9,1 bilhões. O preço final foi definido após uma série de adaptações no projeto da Mekko 100, embarcação alemã que será usada como base para o projeto brasileiro.
 
A principal mudança está na classificação das embarcações. Licitadas como corvetas, elas deverão deixar a linha de produção como fragatas – uma categoria acima entre os navios militares. A informação foi adiantada nesta terça-feira (4) pelo Estadão, e ainda não teve a confirmação da Emgepron, a empresa de projetos da Marinha do Brasil.
O consórcio é capitaneado pela alemã Thyssenkrupp Marine System e pelas brasileiras Embraer e Atech. O projeto prevê transferência de tecnologia entre Alemanha e Brasil, mas o contrato deve estabelecer conteúdo mínimo nacional obrigatório. Para a primeira embarcação, o índice de nacionalização é de 32%. O percentual aumenta com a entrega das embarcações seguintes.
 
Com 107 metros e comprimento, as fragatas terão alta tecnologia embarcada. São navios de guerra, equipados com lançadores de mísseis de diferentes proporções e recursos stealth, que tornam as embarcações “invisíveis” aos radares.
 
Cada fragata levará uma tripulação de até 136 militares e um helicóptero. A artilharia inclui mísseis antiaéreos Sea Ceptor, com 25 km de alcance, e mísseis antinavio de dois tipos – Exocet, europeus, e Mansup, nacionais. O alcance varia entre 70 e 180 quilômetros, com ogivas de 180 quilos de explosivos de alto rendimento. As informações são do Estadão.
 
As embarcações também terão canhões, torpedos e metralhadoras calibre 50 a bordo.
 
A assinatura do contrato ocorreu no Arsenal da Marinha, na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro. A partir daí inicia a fase de projeto executivo, com o detalhamento das fases de construção.
 
A expectativa é que as fragatas comecem a ser produzidas em 2021, com previsão de entrega da primeira embarcação em 2024.